25 de setembro, 2022
O extenso leque de oferta de fundos de investimento ao dispor dos investidores portuguesas suscita frequentemente dúvidas acerca da melhor forma de os comparar para assim tomar uma decisão.

Rentabilizar as poupanças com fundos de investimento 

Os fundos de investimento são excelentes formas de rentabilizar as poupanças. A sua grande diversidade permite que haja uma solução adequada para todos os perfis de risco e objetivos mas pode causar dúvidas na hora de os comparar. A grande vantagem dos fundos é o facto de o investidor poder ter acesso aos rendimentos que os mercados financeiros proporcionam, sem ser necessário ter um conhecimento aprofundado acerca do mesmo. Também não precisa de acompanhar de forma constante a evolução das cotações, as notícias e rumores e o panorama financeiro e político mundial para tomar as melhores decisões de investimento. Ao subscrever um fundo delega todas essas funções à equipa de gestão do fundo que procura valorizar o capital de acordo com a política de investimento do mesmo. 

Sociedades Gestoras de Fundos 

Um dos aspetos importantes a analisar ao comparar fundos é a sociedade que é responsável pela sua gestão. Uma sociedade gestora com um histórico de rentabilidades comprovado e diversas distinções por parte de organismos de referência na área, são um bom indicador de credibilidade e confiança. Neste aspeto deve procurar comparar os fundos de uma forma abrangente na qual estão incluídos todos estes fatores.  

Em Portugal todas as Sociedades Gestoras de Organismos de Investimento Colectivo necessitam estar autorizadas pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a operar. Esta entidade disponibiliza no seu website uma lista das instituições que gerem ativos autorizadas a operar em Portugal, pelo que, constitui um bom ponto de partida para selecionar uma gestora. 

Composição do fundo e estratégia de investimento 

O conjunto de caraterísticas mais importante que distingue os fundos entre si consiste na sua composição e estratégia de investimento. Estas dão origem a níveis de volatilidade e expetativas de rendimento diferentes e devem estar de acordo com o perfil do investidor. Por exemplo um fundo que seja composto maioritariamente por ações de empresas de setores bastante voláteis só será adequado para um perfil de investidor agressivo. Este perfil de investidor está mais apto a aceitar perdas (ainda que temporárias) na expetativa de obter retornos superiores ao longo do tempo. Por outro lado, um fundo que invista maioritariamente em obrigações de grandes empresas percecionadas como seguras será mais adequado a investidores conservadores cuja prioridade máxima é a conservação do capital e não a máxima rentabilização do mesmo. 

Com respeito à composição de um fundo de investimento, é importante realçar que tendencialmente fundos com uma maior proporção de obrigações estão normalmente associados a expetativas de rendimentos inferiores a fundos com uma maior quantidade de ações. Os primeiros têm a vantagem de habitualmente ter uma volatilidade inferior, mas são muitas vezes penalizados na sua rentabilidade. 

Ao comparar fundos de investimento tenha também em conta que não necessita de escolher apenas um. Trata-se até de uma atitude cautelosa diversificar o seu investimento em fundos, mesmo que diversos fundos, por si mesmos já façam uma diversificação considerável. O importante é escolher fundos que sejam compatíveis com o seu perfil de investidor e objetivos. 

Conclusão 

Para comparar fundos de investimento deve começar por analisar a instituição responsável pela sua gestão. Uma instituição credível e reconhecida no mercado poderá transmitir ao seu investimento uma maior segurança e transparência. Por outro lado, a composição e estratégia de investimento de cada fundo, devem ser cuidadosamente analisadas para verificar se são compatíveis com o perfil do investidor em causa.